Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

12/06/2019 - 20:02 - Atualizado em 13/06/2019 - 10:17
IPC de maio registra recuo no crescimento em relação aos meses anteriores
Grupo alimentação e bebidas segue em queda e puxa desaceleração
por Autor: 
Naiara Ashaia

 

Índice de Preços ao Consumidor de Uberlândia (IPC) de maio tem o menor aumento de 2019. (Foto: Milton Santos)

 

O Centro de Estudo, Pesquisas e Projetos Econômico-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/UFU) divulgou nesta quarta-feira, 12/6, o aumento de 0,05% do Índice de Preços ao Consumidor de Uberlândia (IPC) de maio, em comparação com os dados de abril. O pesquisador-economista Pedro Martins destaca que nos meses que compõem o meio do ano a atividade econômica costuma ser mais baixa. Na variação acumulada do ano, a inflação está em 2,06%. Quando considerados os últimos 12 meses, este número é de 3,03%.

 

O IPC-Cepes é composto por nove grupos. Segundo a pesquisadora-economista Graciele Sousa, há três deles que contribuíram para a desaceleração do IPC em relação ao mês de abril. São eles: alimentação e bebidas, habitação e transporte.

 

O grupo alimentação e bebidas teve variação mensal de -0,24%. De acordo com Sousa, a baixa nos preços de produtos frutas como mamão, laranja e tomate e o feijão carioca, que teve uma queda acentuada em maio.

 

Outro destaque em maio foi a habitação, também com variação mensal de -0,24%. Em abril, a variação foi de -0,03%, havendo um recuo do grupo. Sousa afirma que era esperado uma avaliação positiva devido a alta de 3,21% na conta de energia elétrica. Porém, o item aluguel e taxas, que teve variação de -2,44%, ocasionou o fechamento negativo.

 

O terceiro grupo que se destacou foi o transportes, com variação de -0,34%, indicando uma desaceleração, já que, no mês anterior, a variação foi de 0,31%. Isso se deve por, segundo Sousa, os valores da gasolina e do etanol hidratado nas refinarias terem diminuído na última semana de maio.

 

Já o grupo com maior variação positiva foi o de saúde e cuidados pessoais, com variação de 1,12%.

 

 

Cesta básica

O Cepes também constatou uma baixa na soma da média de dos 13 itens alimentícios que compõem a cesta básica de alimentos em Uberlândia. Em maio, o gasto foi de R$ 410,97. No mês anterior o valor foi R$ 438,89, uma variação de -6,36%.

 

A cesta teve essa queda devido principalmente a diminuição no valor do feijão (-15,90%), da batata (-6,86%), do tomate (-25,37%) e da banana (-6,42%). Os destaques das variações positivas foram o leite (3,26%) e o óleo (1,83%).

 

Outro dado divulgado pelo Cepes é o número de horas trabalhadas para a aquisição da cesta básica de alimentos. Em maio, este tempo diminuiu para 90h36min, com variação de -6,36%.

 

Apesar da variação acumulada em 12 meses de 1,65%, o cálculo do salário mínimo necessário para a manutenção de uma família com dois adultos e duas crianças ou uma que possua três adultos fechou menor do que em abril. Em maio o valor foi R$ 3.452,60, abaixo dos R$ 3.687,12 registrados no mês anterior.

 

TÓPICOS: 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2019. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal