Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

07/08/2020 - 17:13 - Atualizado em 07/08/2020 - 17:15
Colesterol: vilão ou mocinho?
Confira 10 coisas que você precisa saber para responder a esta pergunta
por Autor: 
Portal Comunica UFU
Por: 
Ascom HC (com informações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)

No dia 8 de agosto é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. A data serve para alertar e prevenir sobre os riscos do colesterol elevado que segundo os especialistas do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia, é uma das principais causas de doenças cardiovasculares, entre elas infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

O que muitos não sabem é que o colesterol é essencial para o funcionamento do organismo. Então, você deve estar se perguntando: afinal ele é mocinho ou vilão?

Confira 10 coisas que você precisa saber para responder esta pergunta:

Colesterol é necessário ao organismo – ele  é um tipo de gordura que faz parte da estrutura das células do cérebro, nervos, músculos, pele, fígado, intestinos e coração, por isso  é essencial para o funcionamento destas células. É importante para a formação de hormônios de vitamina D e ácidos biliares, que ajudam na digestão das gorduras da alimentação.

O excesso de colesterol ruim é que causa infarto e AVC - O colesterol no sangue circula ligado a lipoproteínas chamadas de colesterol bom (HDL) e colesterol ruim (LDL). O excesso de LDL é que está associado às doenças cardíacas. Este é que deve ser tratado. O índice elevado de colesterol bom (HDL) protege de doenças cardíacas;

O excesso de colesterol ocorre por fatores genéticos e alimentares - Cerca de 70% do colesterol no sangue vem do fígado e apenas 30% vêm da alimentação. Depois de passar pela circulação sanguínea, o colesterol precisa ser removido novamente pelo fígado para formar bile. Os níveis de colesterol no sangue dependem, portanto, principalmente da capacidade do fígado em removê-lo, o que varia de pessoa para pessoa.

Pessoas magras podem ter colesterol alto – Os s níveis de colesterol no sangue dependem muito mais da taxa de remoção do colesterol pelo fígado, que é genética. Quem tem parentes de primeiro grau, pai, mãe, irmãos, com colesterol alto, tem chance de ter também.

O colesterol ruim forma placa de ateroma - O excesso de LDL (colesterol ruim) causa doenças vasculares. Ele se deposita na parede interna das artérias e gradualmente vai formando uma placa chamada ateroma. Estes ateromas vão obstruindo gradualmente as artérias o que pode provocar infarto agudo do miocárdio e AVC.

Importante controlar os outros fatores de risco - Além dos níveis de LDL, é preciso controlar a glicose, a pressão, parar de fumar e reduzir o peso excessivo.

É importante o estilo de vida saudável -.Evitar o sedentarismo,  alimentos com gordura saturada e não fumar são medidas importantes para uma vida saudável.

Todos acima de 10 anos devem dosar o colesterol - Adultos e crianças acima de 10 anos devem dosar o colesterol e suas frações pelo menos uma vez. Se elevados, o médico vai definir o risco cardiovascular individual e planejar um tratamento adequado.

O tratamento é preventivo e permanente - O tratamento do colesterol deve ser preventivo e para a vida toda com o objetivo de reduzir o risco cardiovascular. Na verdade não se busca uma cura e sim um controle que pode ser feito por medidas de estilo de vida ou medicamentos.

O tratamento reduz mortalidade - A cada 40mg/dL de colesterol LDL reduzido, a mortalidade por infarto se reduz em 20%. Portanto, quanto mais alto o colesterol, mais importante é o tratamento adequado.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2020. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal