Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

01/10/2020 - 09:54 - Atualizado em 01/10/2020 - 12:40
Outubro Rosa: história e prevenção no mês que relembra o combate ao câncer de mama
Doença que mais mata mulheres no Brasil pode ser prevenida com ações simples
por Autor: 
Naiara Ashaia

A campanha Outubro Rosa foi lançada em 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. O mês traz um movimento internacional de conscientização sobre o controle do câncer de mama desde a distribuição de laços cor-de-rosa na primeira Corrida Pela Cura em Nova York. O evento anual tem o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, indicando os serviços de diagnóstico e de tratamento.

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres e o quinto mais comum na população. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a doença representou 24,2% do total de casos em 2018, correspondendo a, aproximadamente, 2,1 milhões de casos novos. O câncer de mama também atinge homens, embora mais raro, representando 1% dos casos da doença. No Brasil, em 2020, a estimativa é de 66.280 novos casos, uma taxa de incidência de 43,74 casos por 100.000 mulheres, levando 17.572 mulheres à morte.

De acordo com o mastologista do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), Donizeti Willian Santos, a causa do câncer de mama vem de diversos fatores, como características hormonais e reprodutivas da paciente, agressões ambientais ao DNA das células mamárias, dieta rica em carboidratos, carnes vermelhas e açúcar, obesidade e sedentarismo, alta ingestão de bebidas alcoólicas ou mutações hereditárias presentes na família. “Estamos observando um aumento da incidência do câncer de mama associado ao estilo de vida ocidentalizado, com dietas cada vez mais hipercalóricas”, destaca o médico.

 

Tratamento

A lei Nº 11.664, de 29 de abril de 2008 garante a efetivação de ações de saúde que assegurem a prevenção, a detecção, o tratamento e o seguimento do câncer de mama, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Donizeti Willian afirma que o diagnóstico nas fases iniciais da doença contribui para um tratamento mais eficaz.  “Aumento dos índices de cura, diminuir a agressividade do tratamento, com menos necessidade de quimioterapia e cirurgias de grande porte, melhorando em muito a qualidade de vida destas pacientes”, aponta.

 

Prevenção

De acordo com o Inca, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser prevenidos adotando hábitos saudáveis como praticar atividades físicas, alimentação saudável, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, amamentar e evitar uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal.

“Diminuir a zero a chance de desenvolver câncer de mama é realmente muito difícil, mas a literatura médica mundial, cada vez mais, traz novos dados a respeito da adoção de práticas saudáveis de vida como forma de prevenção”, conta Donizeti Willian. A atividade física, de moderada a intensa, é um colaborador para a prevenção. A prática por 30min, por seis vezes na semana, pode diminuir o risco de desenvolver a doença em até 28%.

O mastologista também ressalta que o diagnóstico precoce é um grande aliado. “É importante destacar que o percentual de cura do câncer de mama é muito alto quando descoberto nas fases mais iniciais pela mamografia”, completa.

 

Campanha

 

O índice de novos casos pode ser muito maior do que aponta o  Inca. De acordo com Donizeti Willian, essa estimativa é devido ao afastamento de mulheres do rastreamento mamográfico, prevenção e diagnóstico precoce por causa da pandemia por Covid-19. “Isso motivou a Sociedade Brasileira de Mastologia a lançar a campanha deste ano para o Outubro Rosa: ‘Quanto antes melhor’, enfatizando a necessidade de prevenção mamária, com todos os cuidados que a pandemia exige”, aponta.

Como parte das ações locais de prevenção ao câncer de mama, a UFU promoveu uma live no Instagram oficial que pode ser acessada pelo IGTV com a mastologista do HC-UFU Juliana Penha. O Setor Integrado de Ações de Promoção à Saúde (Siaps) e o Hospital de Clínicas de Uberlândia (HC) também estão desenvolvendo uma programação visando a conscientização e que será divulgada em breve.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2020. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal